sábado, 30 de janeiro de 2010

Viatura Cai ao Rio Douro

Ocorreu hoje, durante a tarde, na zona do Cais do Pocinho, freguesia de Vila Nova de Foz Côa, uma incidência um tanto ou quanto insólita, quando uma viatura de passageiros caiu ao rio Douro.

Segundo o apurado no local e através dos relatos do condutor, a viatura desgovernou-se enquanto se efectuava uma manobra de inversão de marcha, acabando por entrar na agua e arrastando consigo o condutor, proprietário e único ocupante da viatura, que com alguma destreza conseguiu sair para a margem.

A viatura encontra-se agora na profundidade do rio Douro, a pouco menos de uma dezena de metros da superfície, aguardando por trâmites legais para o seu resgate.

Mais uma vez, os Bombeiros de Foz Côa, apesar de possuírem Bombeiros formados na área de mergulho e alguns até com o nível II, ministrado pela Marinha Portuguesa e credenciado pela E.N.B., vão ficar sem poder realizar uma ocorrência desta natureza, por não possuem material necessário para efectuar mergulho nesta altura do ano e desta dimensão.

Faltam fatos secos, próprios para mergulhos em aguas com temperaturas abaixo dos 14 graus, falta algum material fundamental e indispensável, mas, acima de tudo e desde algum tempo para cá, falta apoio à equipa de mergulho que sempre foi colocada em segundo plano, quer internamente, quer externamente pela faceta do Município e pelo Comando Distrital, que nunca mostraram grande vontade em avançar com um projecto que começou com força, mas, como tudo na vida, quando não se dá o devido tratamento, acaba sempre por se desmoronar.


Bombeiros de Foz Côa - Tel. 279 768 100; Mail - bombeirosfozcoa@hotmail.com

1 comentário:

Fénix disse...

Julgo que os fatos secos para mergulho actualmente são acessíveis monetariamente.

Esse tipo de serviço deve ser suportado na íntegra pelas companhias de seguros, já á muitos anos o meu corpo de bombeiros deixa-mos de fazer resgate de viaturas, socorremos as vítima e nada mais, o resgate da viatura é da responsabilidade da companhia da viatura ou do proprietário.

Os bombeiros tinham o trabalho todo, e depois quem ficava a ganhar com isso era os senhores do reboque e as companhias de seguros, os reboques era somente chegar e carregar o carro, a papinha estava toda feita, nem diziam obrigado.

Pois agora se querem vão ter que pagar, e posso dizer que esse serviço que os senhores denunciam, as companhias de seguro paga entre 2500 euros a 4 mil euros, somente pelo resgate da viatura para fora de água. Antes de fazer o resgate é somente informar a companhia como é?

Se querem que os bombeiros façam o resgate mediante do valor imposto pelos bombeiros, ou que contratem um empresa especializada para o fazer.

Pensem nisso,